Artigos

O que devemos saber sobre a hipertensão

A hipertensão arterial (HTA) continua, em pleno século XXI, a ser o mais prevalente e importante fator de risco para acidentes-cardiovasculares (ACV) em todo o mundo. É uma condição do organismo caracterizada por níveis elevados e constantes da pressão arterial, que corresponde a valores iguais ou superiores a 140/90mmHg. De uma forma mais geral deve-se considerar também as adequações deste nível de acordo com a faixa etária. A pressão arterial tem duas medidas: a pressão arterial sistólica ou “máxima” e a pressão arterial diastólica “mínima”. A primeira, diz respeito à pressão que o sangue exerce nas paredes das artérias quando o coração está a bombear sangue, enquanto que a segunda indica a pressão que o sangue exerce nas artérias, quando o coração está relaxado.

A hipertensão é um problema de saúde pública mundial e estima-se que afete a vida de cerca de um bilião de indivíduos. É considerada um dos principais fatores de risco para a ocorrência de eventos cardiovasculares, que são a principal causa de morte no país. De acordo com estudos realizados, estima-se que a nível da Europa, 30-45% da população tem HTA e Portugal não é exceção a estes números. Num inquérito realizado pelo Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA), em Portugal, a HTA afeta cerca de 26,9% da população, com prevalências de mais de 70% em indivíduos acima dos 65 anos, e de 6% em indivíduos entre os 25 e os 34 anos.

Segundo a Sociedade Portuguesa de Hipertensão (SPA), os doentes com hipertensão têm maior risco de morte ou desenvolvimento de determinadas doenças, como: insuficiência cardíaca, acidentes vasculares cerebrais (AVC), enfarte do miocárdio, insuficiência renal ou perda gradual da visão. No entanto, a HTA é definida por graus, de acordo com os valores de Pressão Arterial (PA) encontrados, sendo que os graus são importantes para definir a gravidade da doença e orientar a sua abordagem. Segue a tabela abaixo as definições e classificações da pressão arterial:

Fonte: Sociedade Portuguesa de Hipertensão

Quais os sintomas

Níveis apropriados de pressão são importantes para a manutenção do funcionamento adequado do corpo e de órgãos como cérebro, coração e rins.  Em geral a HTA não provoca quaisquer sintomas nos primeiros anos da doença. Em alguns casos pode manifestar-se através de sintomas como cefaleias, tonturas, mal-estar, visão desfocada, dor no peito ou sensação de falta de ar, sintomas estes que são comuns a muitas outras doenças. Como a elevação da pressão causa poucos sintomas nos estágios iniciais da doença, muitas pessoas que possuem o problema ficam subdiagnosticadas. A detecção precoce, seguida de um acompanhamento de saúde e tratamento adequados, são fundamentais para a prevenção de complicações e intervenções como cirurgias e tratamentos dialíticos.

Dicas práticas para diminuir o risco de HTA

A prevenção da hipertensão é a melhor maneira de evitar consequências indesejadas para a saúde.  Pode ser feita através da manutenção de hábitos saudáveis, como uma alimentação equilibrada com redução do consumo de sal, prática de atividades físicas, redução do peso de forma global e o consumo controlado de álcool.

A alimentação, além da redução do sal de cozinha (NaCl – Cloreto de Sódio) em níveis menores de 5 g por dia (2 gramas de Sódio) deve ser enriquecida por alimentos ricos em potássio sendo que alguns trabalhos também mostram melhores níveis de pressão arterial quando o potássio sérico (sanguíneo) está em valores ideais. O consumo de alimentos vegetais, como frutas, legumes e verduras, possui efeitos sensíveis na redução da mortalidade de forma geral e promove redução de peso, importante aliado na redução da pressão arterial.

Os alimentos industrializados, enchidos, caldos e preparações em pó e enlatados, na medida que possuem alta concentração de sódio, utilizado na conservação e aumento da vida média desses alimentos, devem ver o seu consumo reduzido.

Para além de todos os cuidados com a alimentação e a prática de exercício físico regular, existem ainda roupas com tecnologia capazes de ajudar na regulação da pressão arterial através da vasodilatação e consequente melhoria do fluxo sanguíneo.  A Bionz aposta neste tipo de tecnologia para proporcionar maior bem-estar e saúde aos  seus utilizadores.

Artrite Reumatóide

Já ouviu falar em artrite reumatóide? É uma doença inflamatória generalizada que afeta as articulações e outros órgãos. Em Portugal, estima-se que atinja 3 vezes mais mulheres do que homens, entre 50 a 60 mil portugueses, e qualquer pessoa de qualquer idade, incluindo crianças, podem sofrer de artrite reumatóide.

Esta é uma doença autoimune, o que significa que as células do nosso sistema imunitário acabam por atacar os tecidos do nosso próprio corpo como se estes fossem ameaças. A artrite reumatóide possui como sintoma principal a dor nas articulações, sendo que estas se apresentam quentes e inchadas. Esse quadro também é caracterizado pela rigidez e consequente dificuldade de movimentação das articulações, principalmente no período da manhã. As inflamações geralmente atacam os dois lados do corpo, de forma simétrica.


Assimetria das Inflamações

O diagnóstico é feito a partir de relatos do paciente, bem como através da análise do histórico familiar. Para complementação de diagnóstico, são pedidos exames de imagem e de sangue. Por ser uma doença progressiva, sem tratamento adequado, ela tende a piorar, causando deformidades. Essas deformidades são consequência da rutura de tendões e deterioração das articulações.

O tratamento baseia-se na utilização de medicamentos imunossupressores que diminuem a inflamação e controlam a resposta imune. Para diminuir a dor e a inflamação de forma mais imediata, são utilizados analgésicos e anti-inflamatórios. É importante ter acompanhamento constante de um profissional, uma vez que é uma doença sem cura e o seu tratamento funciona apenas como uma forma de a controlar.


Exercício físico adaptado

Além do tratamento médico, o exercício físico é essencial para o fortalecimento da musculatura do paciente. Ao contrário do que se pensa, o exercício quando adaptado ao caso do paciente, pode reduzir o cansaço e melhorar o seu vigor e a sua capacidade física, bem como a sensação de bem-estar. A orientação é não exagerar e fazer os exercícios de acordo com suas capacidades e sempre sob a orientação de um profissional.

As roupas inteligentes da Bionz com tecnologia IVL, são também uma ajuda preciosa nestes casos, isto porque nas fibras dos tecidos é incorporada uma tecnologia especial. Essa tecnologia consiste numas micropartículas que quando em contacto com o calor corporal são estimuladas e devolvem esse calor ao corpo sob a forma de infravermelho longo. Esta radiação, que é extremamente benéfica, é responsável por desencadear o processo de melhoramento da circulação sanguínea, permitindo um melhor funcionamento do organismo criando e condições para acelerar o processo de recuperação muscular e de ação anti-inflamatória, auxiliando na redução de inchaços e no alívio da dor. O uso das roupas deve ser feito de forma continuada para que se obtenham melhores resultados.

Roupas Inteligentes que emitem infravermelho Longo

Saiba mais no nosso site www.bionz.pt

O acompanhamento da doença deve ser sempre feito por profissionais qualificados que encontrem a melhor solução para cada organismo.

Óxido Nítrico, e o Infravermelho Longo

O que é o óxido nítrico?

É uma substância produzida no endotélio (camada interna dos vasos sanguíneos) que promove o relaxamento do músculo liso presente na parede dos vasos sanguíneos, favorecendo a vasodilatação e o aumento do fluxo sanguíneo (Figura 1).

O Óxido Nítrico (NO) atua no músculo como molécula sinalizadora responsável pelo fluxo de sangue, transporte de oxigénio, equilíbrio da glicose, velocidade de contracção muscular, produção de energia e crescimento do músculo.

O óxido nítrico produz-se nas células endoteliais
Figura 1 – Vaso Sanguíneo.

O óxido nítrico no exercício físico

Durante o exercício físico, o trabalho cardíaco aumenta e acontece uma redistribuição do fluxo sanguíneo. Os músculos mais trabalhados durante o exercício são mais abastecidos do que os tecidos inactivos.

Pelo facto do óxido nítrico ser um vasodilatador, significa que irá haver um aumento do fluxo sanguíneo e maior rapidez e eficiência na distribuição do oxigénio e dos nutrientes aos músculos.

A bioestimulação do óxido nítrico fará com que haja um aumento na recuperação e diminuição da fadiga muscular. Os músculos irão receber oxigénio e nutrientes com maior frequência e consequentemente a recuperação será mais rápida.

Durante o treino, os músculos vão esgotando o oxigénio que recebem. Quando deixa de existir oxigénio suficiente, o organismo começa a produzir ácido láctico, e o corpo irá começar a sentir-se mais cansado. Quanto maior a quantidade de oxigénio que conseguirmos levar aos músculos, menor será a quantidade de ácido láctico produzido, e consequentemente menor será a fadiga acumulada sendo a recuperação mais rápida (Figura 2).

O óxido nítrico ajuda a relaxar o tecido muscular liso deixando-o mais elástico
Figura 2 – Maior distribuição de oxigénio e nutrientes aos músculos.

NOTA – Uma vez que a resistência ao exercício físico depende da quantidade de oxigénio que os músculos recebem durante o exercício, um aumento do fluxo sanguíneo atrasará a fadiga muscular.

Óxido nítrico e o infravermelho longo

A Bionz desenvolveu uma biocerâmica denominada TIZNO capaz de irradiar infravermelho longo (3 µm a 14 µm). Esta biocerâmica é incorporada nas fibras do tecido da roupa que passa então a ter a capacidade de absorver calor e irradiá-lo na forma de ondas de infravermelho longo, proporcionando o aumento da temperatura naquele local. Quando o corpo entra em contacto com o tecido, a biocerâmica TIZNO que está incorporada no tecido passa a emitir luz infravermelha longa e desencadeia uma reacção bioquímica que tem propriedades de bioestimulação.

As ondas na faixa de 3 µm a 14 µm estimulam as moléculas da água e fazem com que o organismo produza óxido nítrico, que é um vasodilatador. Este óxido ao estimular a vasodilatação e a consequente melhora da microcirculação sanguínea local, diminui as dores e/ou inflamações (Figura 3).

endotélio, células musculares lisas, vasos relaxados, óxido nítrico dilata os vasos sanguínos
Figura 3 – Vasodilatação através do óxido nítrico.

Resumo:

  • A Biocerâmica TIZNO irradia ondas de infravermelho no comprimento de 3 a 14 µm.
  • As ondas estimulam nas células a produção de Óxido Nítrico (NO).
  • O Óxido Nítrico (NO) aumenta o volume dos vasos, melhorando assim a microcirculação sanguínea, trazendo benefícios diversos à saúde como o relaxamento muscular e alívio da dor.
Artigo por:
Eng. Biomédica Micaela Rodrigues