O que devemos saber sobre a hipertensão

A hipertensão arterial (HTA) continua, em pleno século XXI, a ser o mais prevalente e importante fator de risco para acidentes-cardiovasculares (ACV) em todo o mundo. É uma condição do organismo caracterizada por níveis elevados e constantes da pressão arterial, que corresponde a valores iguais ou superiores a 140/90mmHg. De uma forma mais geral deve-se considerar também as adequações deste nível de acordo com a faixa etária. A pressão arterial tem duas medidas: a pressão arterial sistólica ou “máxima” e a pressão arterial diastólica “mínima”. A primeira, diz respeito à pressão que o sangue exerce nas paredes das artérias quando o coração está a bombear sangue, enquanto que a segunda indica a pressão que o sangue exerce nas artérias, quando o coração está relaxado.

A hipertensão é um problema de saúde pública mundial e estima-se que afete a vida de cerca de um bilião de indivíduos. É considerada um dos principais fatores de risco para a ocorrência de eventos cardiovasculares, que são a principal causa de morte no país. De acordo com estudos realizados, estima-se que a nível da Europa, 30-45% da população tem HTA e Portugal não é exceção a estes números. Num inquérito realizado pelo Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA), em Portugal, a HTA afeta cerca de 26,9% da população, com prevalências de mais de 70% em indivíduos acima dos 65 anos, e de 6% em indivíduos entre os 25 e os 34 anos.

Segundo a Sociedade Portuguesa de Hipertensão (SPA), os doentes com hipertensão têm maior risco de morte ou desenvolvimento de determinadas doenças, como: insuficiência cardíaca, acidentes vasculares cerebrais (AVC), enfarte do miocárdio, insuficiência renal ou perda gradual da visão. No entanto, a HTA é definida por graus, de acordo com os valores de Pressão Arterial (PA) encontrados, sendo que os graus são importantes para definir a gravidade da doença e orientar a sua abordagem. Segue a tabela abaixo as definições e classificações da pressão arterial:

Fonte: Sociedade Portuguesa de Hipertensão

Quais os sintomas

Níveis apropriados de pressão são importantes para a manutenção do funcionamento adequado do corpo e de órgãos como cérebro, coração e rins.  Em geral a HTA não provoca quaisquer sintomas nos primeiros anos da doença. Em alguns casos pode manifestar-se através de sintomas como cefaleias, tonturas, mal-estar, visão desfocada, dor no peito ou sensação de falta de ar, sintomas estes que são comuns a muitas outras doenças. Como a elevação da pressão causa poucos sintomas nos estágios iniciais da doença, muitas pessoas que possuem o problema ficam subdiagnosticadas. A detecção precoce, seguida de um acompanhamento de saúde e tratamento adequados, são fundamentais para a prevenção de complicações e intervenções como cirurgias e tratamentos dialíticos.

Dicas práticas para diminuir o risco de HTA

A prevenção da hipertensão é a melhor maneira de evitar consequências indesejadas para a saúde.  Pode ser feita através da manutenção de hábitos saudáveis, como uma alimentação equilibrada com redução do consumo de sal, prática de atividades físicas, redução do peso de forma global e o consumo controlado de álcool.

A alimentação, além da redução do sal de cozinha (NaCl – Cloreto de Sódio) em níveis menores de 5 g por dia (2 gramas de Sódio) deve ser enriquecida por alimentos ricos em potássio sendo que alguns trabalhos também mostram melhores níveis de pressão arterial quando o potássio sérico (sanguíneo) está em valores ideais. O consumo de alimentos vegetais, como frutas, legumes e verduras, possui efeitos sensíveis na redução da mortalidade de forma geral e promove redução de peso, importante aliado na redução da pressão arterial.

Os alimentos industrializados, enchidos, caldos e preparações em pó e enlatados, na medida que possuem alta concentração de sódio, utilizado na conservação e aumento da vida média desses alimentos, devem ver o seu consumo reduzido.

Para além de todos os cuidados com a alimentação e a prática de exercício físico regular, existem ainda roupas com tecnologia capazes de ajudar na regulação da pressão arterial através da vasodilatação e consequente melhoria do fluxo sanguíneo.  A Bionz aposta neste tipo de tecnologia para proporcionar maior bem-estar e saúde aos  seus utilizadores.

1º de maio, Dia do Trabalhador

Hoje é o dia do trabalhador, homens e mulheres saem das suas casas para trabalhar e seguir o dia a dia à procura de uma vida melhor. O dia do trabalhador é celebrado anualmente no dia 1 de maio em vários lugares do mundo. Na maioria dos países, a data é considerada feriado nacional. Mas vamos entender de onde vem esta comemoração, e o porquê desta data ser celebrada nos quatro cantos do planeta Terra.

Tudo começou em 1886, quando trabalhadores de Chicago, nos Estados Unidos, fizeram uma manifestação nas ruas da cidade reivindicando a redução da carga horária de trabalho, de 13h para 8h diárias. Neste mesmo dia, os trabalhadores americanos fizeram uma greve geral no país. Estes protestos ficaram conhecidos como a Revolta de Haymarket. Nos dias seguintes, manifestantes e polícias entraram em conflitos, o que resultou na morte de alguns envolvidos e em dezenas de feridos.

De acordo com o advogado do trabalho Geraldo Filho, trabalhador, é todo aquele que presta serviços pessoalmente a alguém em troca de remuneração. A relação de trabalho engloba todas as formas jurídicas de contratação do trabalho humano, incluindo a dos serviços públicos, a dos empregados, a dos trabalhadores pontuais, a dos trabalhadores autónomos, entre outras. Trata-se de um meio de sobrevivência da grande maioria da população mundial.

O objetivo do feriado é celebrar as conquistas dos trabalhadores ao longo da história. No dia 20 de junho de 1889, em Paris, a central sindical, convocou trabalhadores para manifestar e lutar pelas 8h diárias de trabalho. Em 23 de abril de 1919, o senado francês aprovou o período de 8h diárias de trabalho, e proclamou o dia 1 de maio como feriado nacional.

Em Portugal, os trabalhadores assinalaram o 1 de maio logo em 1890, o primeiro ano da sua realização internacional. Mas as ações do Dia do Trabalhador limitavam-se inicialmente a alguns piqueniques de confraternização, com discursos pelo meio, e a algumas romarias aos cemitérios em homenagem aos operários e ativistas caídos na luta pelos seus direitos laborais.

Com as alterações nos sindicatos que representavam os trabalhadores portugueses, e com o fim da Monarquia, e ao longo da I República, o 1 de maio ganhou também características de ação de massas. Até que, em 1919, após algumas das mais marcantes lutas do sindicalismo e dos trabalhadores portugueses, foi conquistada e consagrada na lei o período de oito horas para os trabalhadores do comércio e da indústria.

O marco da luta da classe operária que ficara na história de Portugal, foi sem dúvida a revolta dos assalariados agrícolas dos campos do Alentejo, que tiveram o seu grande impulso no dia 1 de maio de 1962, quando mais de 200 mil operários agrícolas que até então trabalhavam de sol a sol, participaram nas greves realizadas e impuseram aos agrários e ao governo de Salazar o período de oito horas de trabalho diário.

Outro marco importante foi sem dúvida em maio de 1974, oito dias após a revolução do 25 de Abril, quando os trabalhadores puderam ir à rua comemorar o 1 de maio sem a repreensão da polícia como era feito no período da ditadura. No monumento aos mártires de Chicago está escrita a seguinte frase: “Um dia o nosso silêncio será mais poderoso do que as vozes que hoje vocês sufocam”. Então, que sejamos capazes de fazer com que este silêncio se torne ensurdecedor e a chama da luta da classe trabalhadora não se apague nunca!

Parabéns a todas as trabalhadoras e todos os trabalhadores pelo seu dia! A Bionz está consigo, trabalhador, para o ajudar a cumprir os seus objetivos e seguir adiante com o seu dia a dia.