1º de maio, Dia do Trabalhador

Hoje é o dia do trabalhador, homens e mulheres saem das suas casas para trabalhar e seguir o dia a dia à procura de uma vida melhor. O dia do trabalhador é celebrado anualmente no dia 1 de maio em vários lugares do mundo. Na maioria dos países, a data é considerada feriado nacional. Mas vamos entender de onde vem esta comemoração, e o porquê desta data ser celebrada nos quatro cantos do planeta Terra.

Tudo começou em 1886, quando trabalhadores de Chicago, nos Estados Unidos, fizeram uma manifestação nas ruas da cidade reivindicando a redução da carga horária de trabalho, de 13h para 8h diárias. Neste mesmo dia, os trabalhadores americanos fizeram uma greve geral no país. Estes protestos ficaram conhecidos como a Revolta de Haymarket. Nos dias seguintes, manifestantes e polícias entraram em conflitos, o que resultou na morte de alguns envolvidos e em dezenas de feridos.

De acordo com o advogado do trabalho Geraldo Filho, trabalhador, é todo aquele que presta serviços pessoalmente a alguém em troca de remuneração. A relação de trabalho engloba todas as formas jurídicas de contratação do trabalho humano, incluindo a dos serviços públicos, a dos empregados, a dos trabalhadores pontuais, a dos trabalhadores autónomos, entre outras. Trata-se de um meio de sobrevivência da grande maioria da população mundial.

O objetivo do feriado é celebrar as conquistas dos trabalhadores ao longo da história. No dia 20 de junho de 1889, em Paris, a central sindical, convocou trabalhadores para manifestar e lutar pelas 8h diárias de trabalho. Em 23 de abril de 1919, o senado francês aprovou o período de 8h diárias de trabalho, e proclamou o dia 1 de maio como feriado nacional.

Em Portugal, os trabalhadores assinalaram o 1 de maio logo em 1890, o primeiro ano da sua realização internacional. Mas as ações do Dia do Trabalhador limitavam-se inicialmente a alguns piqueniques de confraternização, com discursos pelo meio, e a algumas romarias aos cemitérios em homenagem aos operários e ativistas caídos na luta pelos seus direitos laborais.

Com as alterações nos sindicatos que representavam os trabalhadores portugueses, e com o fim da Monarquia, e ao longo da I República, o 1 de maio ganhou também características de ação de massas. Até que, em 1919, após algumas das mais marcantes lutas do sindicalismo e dos trabalhadores portugueses, foi conquistada e consagrada na lei o período de oito horas para os trabalhadores do comércio e da indústria.

O marco da luta da classe operária que ficara na história de Portugal, foi sem dúvida a revolta dos assalariados agrícolas dos campos do Alentejo, que tiveram o seu grande impulso no dia 1 de maio de 1962, quando mais de 200 mil operários agrícolas que até então trabalhavam de sol a sol, participaram nas greves realizadas e impuseram aos agrários e ao governo de Salazar o período de oito horas de trabalho diário.

Outro marco importante foi sem dúvida em maio de 1974, oito dias após a revolução do 25 de Abril, quando os trabalhadores puderam ir à rua comemorar o 1 de maio sem a repreensão da polícia como era feito no período da ditadura. No monumento aos mártires de Chicago está escrita a seguinte frase: “Um dia o nosso silêncio será mais poderoso do que as vozes que hoje vocês sufocam”. Então, que sejamos capazes de fazer com que este silêncio se torne ensurdecedor e a chama da luta da classe trabalhadora não se apague nunca!

Parabéns a todas as trabalhadoras e todos os trabalhadores pelo seu dia! A Bionz está consigo, trabalhador, para o ajudar a cumprir os seus objetivos e seguir adiante com o seu dia a dia.

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta